//
you're reading...
Apito Dourado, Escutas, Jorge Nuno Pinto da Costa, Luís Filipe Vieira

As escutas a Pinto da Costa e a Luís Filipe Vieira (ou a falta delas…)

Como sabemos o processo Apito Dourado esteve sempre relacionado e altamente dependente das “escutas” aos principais suspeitos. E como sabemos Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, foi um dos principais visados. Desde que foi colocado sob escuta e até ao final da investigação foram registadas mais de 16 mil horas de conversas suas. Os resultados destas 16 mil horas são aquelas famosas conversas relativas a diversos temas e que sustentadas pela escrita do livro de Carolina Salgado, motivaram a abertura e reabertura de diversos processos contra o presidente portista.

Ao longo dos últimos 8 anos, muitas vozes questionaram o porquê do processo estar quase exclusivamente direccionado para os clubes e dirigentes nortenhos. Poderia dar-se o caso de apenas eles incorrerem em comportamentos, atitudes e conversas suspeitas. A ser assim, seria perfeitamente natural apenas eles ser escutados e investigados, no entanto, não é isso que acontece.

É interessante recordar como começou a investigação a Pinto da Costa há 8 anos atrás e compará-lo com um caso similar que no entanto não motivou semelhante acção da parte do procurador Carlos Teixeira.

PINTO DA COSTA

Pinto da Costa viu-se envolvido no processo Apito Dourado após ter sido apanhado numa escuta de forma indirecta, nomeadamente numa conversa que teve com Pinto de Sousa, este sim na altura já sob escuta. Essa conversa era a respeito da escolha do árbitro da final da Taça de Portugal entre o FC Porto e a U.Leiria.

Recordemos então o que foi dito:

Na escuta, que aconteceu a 26 de Maio de 2003 e que antecedeu a final FC Porto-União de Leiria, Pinto da Costa conversou com Pinto de Sousa sobre a possível nomeação de Isidoro Rodrigues. O presidente do Conselho de Arbitragem deu-lhe conta que a nomeação não agradava ao presidente dos leirienses, João Bartolomeu, e que este ameaçara fazer um escândalo quando soube que aquele árbitro seria o designado. “O gajo sabe que está para ser o Isidoro… e disse que a equipa não comparece, (…) que é um escândalo. (…) Se o gajo vai para lá todo f… da cabeça, estraga a festa“, alertava Pinto de Sousa, sugerindo a Pinto da Costa que pensasse noutra opção.

Na mesma escuta telefónica, transcrita no processo principal do Apito Dourado, o líder dos azuis e brancos apresenta outras hipóteses para o mesmo jogo. Primeiro sugere o árbitro António Costa, depois Pedro Henriques. A escolha acaba por recair no segundo, depois de Pinto da Costa entender ser aquele o árbitro ideal, por ser o primeiro classificado pelo Conselho de Arbitragem. Mas Pinto da Costa diz também a Pinto de Sousa que pode mudar o nome, se assim o entender. “Por mim, estás à vontade. Se vires que te defende mais outro, põe outro“, afirmou.

Pinto da Costa indicou árbitro para a final da Taça de 2002/2003 (PÚBLICO)

Nesta conversa, onde Pinto da Costa sugere a Pinto de Sousa, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação, a indicação do nome de Pedro Henriques, árbitro de Lisboa, o procurador de Gondomar Carlos Teixeira viu indícios de crime e desse modo o presidente Pinto da Costa passou a ser um alvo.

No entanto, o critério (ou falta dele) do procurador relativamente a uma situação idêntica, torna-se esclarecedor quando Luís Filipe Vieira é apanhado em situação em tudo semelhante.

LUÍS FILIPE VIEIRA

Tal como Pinto da Costa, também Luís Filipe Vieira foi apanhado de forma indirecta numa escuta e também essa a respeito da escolha do árbitro para um jogo da Taça de Portugal. Pela transcrição das escutas observa-se que as negociações decorreram entre Luís Filipe Vieira, Valentim Loureiro, João Rodrigues e Pinto de Sousa.

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, envolveu-se directamente na escolha do árbitro do jogo das meias-finais da Taça de Portugal da época de 2003/2004 em que o Benfica ganhou ao Belenenses por 3-1. Esse jogo foi arbitrado por João Ferreira, de Setúbal, na sequência da nomeação combinada num telefonema entre Valentim Loureiro e o presidente dos encarnados.

Luís Filipe Vieira recusa 4 internacionais propostos por Valentim Loureiro e acaba por aceitar João Ferreira.

“Não quero Lucílio nenhum! (…) O António Costa?! F… Isso é tudo Porto! (…) O Duarte, nada, zero! (…) O Proença também não quero! (…) O João… Pode vir o João.”

O presidente do SL Benfica de forma enigmática acrescenta ainda: “Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado. (…)”

Na sequência deste telefonema entre Valentim Loureiro, surge-nos uma outra escuta onde o major comenta com Pinto de Sousa a conversa tida com o presidente do Benfica. A partir dessa escuta e segundo outros registos, confirma-se que João Rodrigues era na maior parte dos casos o intermediário de Luís Filipe Vieira na escolha de árbitros, sendo abundantes os registos a esse respeito.

Apito Dourado: escutas apanharam Luís Filipe Vieira a escolher árbitros para o Benfica (PÚBLICO)

PROCURADOR CARLOS TEIXEIRA

Perante situações absolutamente similares, o procurador Carlos Teixeira tomou decisões diferentes. Julgou ser necessário colocar o presidente do FC Porto sob escuta e de forma surpreendente ou talvez não, não considerou essa hipótese relativamente a Luís Filipe Vieira.

Escrevia-se no jornal PUBLICO a respeito das escutas a LFV e do critério do procurador Carlos Teixeira:

«Os motivos que o levaram a ter um entendimento diferente para o caso do Benfica são uma incógnita. No entanto, Luís Filipe Vieira ainda poderá vir a ser chamado nas certidões que se mantêm em investigação em Lisboa, para responder sobre a escuta ontem noticiada pelo PÚBLICO e outras obtidas no mesmo processo.

Aliás, segundo o PÚBLICO soube, há mais conversas comprometedoras com o presidente dos encarnados. O interlocutor era normalmente Pinto de Sousa, cujas certidões se mantêm em investigação, mas Luís Filipe Vieira nunca foi interrogado

É caso para perguntar?

– Por que razão perante duas situações semelhantes tivemos duas acções completamente distintas por parte do procurador Carlos Teixeira?

– Por que razão não convinha colocar sob escuta o presidente do SL Benfica?

– Por que razão nunca houve interesse em investigar determinadas figuras do futebol e determinados clubes?

Recordemos ainda que Luís Filipe Vieira é um presidente cadastrado, um presidente condenado pela justiça por roubo e que esteve evolvido em actividades ilícitas. Recordemos também que este mesmo presidente é mais tarde “apanhado” numa investigação à claque do Benfica onde se constata que fornecia apoio a essa mesmo claque ilegal e que fazia pedidos aos agentes de segurança para que facilitassem a entrada de objectos perigosos no Estádio da Luz.

Provavelmente nunca se saberá com certezas absolutas as motivações do procurador Carlos Teixeira e do MP, no entanto, a teia montada com diversos intervenientes e que se prolongou ao longo dos anos ajudará a perceber alguma coisa. A conhecer nos próximos capítulos..

Discussion

14 thoughts on “As escutas a Pinto da Costa e a Luís Filipe Vieira (ou a falta delas…)

  1. Ainda vim a este site a pensar que era alguma coisa de jeito e imparcial…afinal deparo-me com um veiculo de propaganda azul e branca. Menos um visitante

    Posted by Anonymous | 12 de October de 2011, 22:16
  2. felipe vieira? pinto da costa? Fazem como todos! claro q o pdc lidera,mas todos o fazem

    Posted by Anonymous | 21 de March de 2012, 22:00
  3. ESTE CSI faz-me lembrar aquela gente toda que suportava a comunicação ao “falecido” josé socrates ,ainda quero ver o que farão estes “doutos” de opinião quando a verdade resolver fazer como o azeite
    só espero é que a respeito de toda esta propaganda de inspiração na extrema direita não andem todos de cartão de credito no bolso a serem descontados na “cosmos”no “fcp” “escaravelho negro# ou outra coisa parecida
    CARPE DIEM amigos pois o futuro é incerto

    Posted by Anonymous | 10 de April de 2012, 2:45
  4. Gostaria de saber se aqueles que acusam sem fundamento por acaso se preocuparam em saber em que âmbito foi realizada a conversa, para a Taça de Portugal entre LFV e o seu interlocutor. E teriam verificado que IGUAL conversa foi realizada com o presidente do ADVERSÁRIO DO BENFICA DESSE JOGO. DAÍ o MP não ter avançado porque não tinha NADA para avançar.
    Nota: o outro clube era o Belenenses e a conversa com um senhor (julgo que Sequeira) cuja seriedade (esse sim) não seria posta em causa, tanto quanto julgo saber.

    Posted by Seismilhoesum | 11 de July de 2012, 16:53
  5. O principal? As escutas foram paralelas ao processo principal que envolvia o Gondomar.. Uma, apenas uma escuta irrelevante ao LF Vieira! Mas aqui já conseguem ver escolha de árbitros. Tentem investigar o resto da história, oh falaciosos!

    Posted by Seismilhoesum | 10 de September de 2012, 20:29
  6. E VERGONHOSO COMO O DONO DESTE TASCO CONSEGUE LAVAR COM LIXIVIA OS ROUBOS AS BATOTAS DOS GRUNHOS DO LADRÃO COM O COSTA E O TELLES A CABEÇA
    POIS DEVERIAM TODOS ESTAR PRESOS ,SIM PRESOS
    MAIS ATE ESTE LAVADOR DE BATOTAS POR BRANQUEAR A CORRUPÇÃO TAMBEM

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:32
  7. Pinto da Costa viu-se envolvido no processo Apito Dourado!…
    após ter sido apanhado numa escuta de forma indirecta ……M E N T I R A MENTIRA MENTIROSO …

    VOCÊ E UM MENTIROSO VOCÊ E UM JAGUNÇO AO SERVIÇO DAS MAFIAS ,QUER VER E LER

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:35
  8. Mais você como desonesto deveria quere saber o que fizeram a muitas mais escutas [teles, costa,araujo , loureiros etc etc ] que foram parar a judiciaria do porto ,muitas desapareceram e assim que você vive neste pais de gatunos e corruptos..
    mas DEUS tem lhes mostrado como e bom ser corrupto batoteiro e vigairista ,tempo

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:38
  9. Semana sim, semana não, um dos jornais ou televisões ao serviço do FC Porto/Pinto da Costa volta à carga com as escutas telefónicas em processos da justiça desportiva. Não para desmentir os seus conteúdos, a gravidade do que é dito ou a sua veracidade, mas para questionar a sua utilização, sempre com base em formalismos legais inaplicáveis ou inexistentes. E para daí partir para a enésima garantia de que as punições ao sr. Pinto da Costa e ao FC Porto (2 anos de suspensão por corrupção de árbitros na forma tentada e perda de 6 pontos na classificação) vão ser anuladas, tudo em grandes parangonas e sem qualquer pudor ou receio de se verem desmentidos.

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:40
  10. Hoje mesmo, último sábado de Janeiro de 2009, o vetusto ‘Jornal de Notícias’ enchia a sua manchete com títulos garrafais dizendo ‘Escutas telefónicas fora do Apito Final’, ‘Constitucional confirma ilegalidade do uso de escutas na justiça desportiva’, ‘Decisão põe em causa castigos a Pinto da Costa, FC Porto e Boavista’. Que se passara? Que teria levado o Tribunal Constitucional (TC) a mudar de opinião? Pois bem, não se passara nada. Mas a partir de um primeiro telegrama da Lusa, bastou ignorarem o segundo, em que tudo era clarificado, para o esforçado pessoal do ‘Jornal de Notícias’ fazer o que, em bom português e salvo o devido respeito, se chama ‘albardar o burro à vontade do dono’.

    Em resumo, o TC decidira na véspera ‘não apreciar o recurso interposto pelo Conselho de Justiça da FPF, que lhe tinha pedido para se pronunciar sobre a utilização de escutas telefónicas em processos disciplinares. Isto porque, no processo de punição do presidente da União de Leiria, João Bartolomeu, este recorrera para o Supremo Tribunal Administrativo (STA), pedindo a devolução dos textos das suas escutas, no que se chama uma intimação objectiva, uma habilidade processual restrita e sem consequências sobre outros processos. Muito menos em processos transitados em julgado, já apreciados e julgados em recurso pelo Conselho de Justiça da FPF.

    Portanto, estamos perante a transformação de um ‘não acontecimento’ (a decisão do TC de não apreciar o recurso da do CJ da FPF atrás referido) num acontecimento. Ainda não foi desta vez que as escutas (praticamente a única forma de combater a corrupção) foram anuladas ou proibidas. Uma coisa estranha de defender, mas que, pelos vistos, tem os seus fiéis defensores.

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:41
  11. Conversa entre António Araújo e Pinto da Costa:

    Pinto da Costa (PC): Estou

    António Aráujo (AA): Estou Presidente?

    PC: Como está?

    AA: Eu virei aqui, eu virei aqui, portanto, para a, para a zona da Madalena, não é?

    PC: Sim

    AA:E agora, eu viro para depois aonde? Que eu vim só no dia do seu aniversário…

    PC: O senhor virou onde diz Madalena, não é? E agora vem frente e… sobe um bocadinho não é?

    AA: Sim…

    PC: Sobe um bocadinho e o senhor vira à esquerda.

    AA: Certo…

    PC: Tá a virar?

    AA: Sim sim

    PC: E depois vira à direita.

    AA: Certo.

    PC: E agora vem sempre por aí abaixo…

    AA: Hum… espere aí então, espera aí. Tem alguma, alguma tabuleta em especial, não?

    PC: Não, vem sempre por… em frente por aí abaixo

    AA: Pela nossa direita não é?

    PC: Sim, o senhor vire pela direita, portanto, tem uma tabuleta que diz Porto, não sei quê para a esquerda… e o senhor vira à direita, vem à … continua em frente pela direita sempre a descer. Pronto… Agora vai descendo

    AA: Espere aí. É que eu tive que… já tinha caminhado um bocado…pronto, eu estou aqui, cheguei nesta rotunda.

    PC: Qual rotunda?

    AA: Eu…tem a… que diz assim: Porto.

    PC: Pronto, o senhor aí vem para baixo. Em vez de ir para o Porto, vem para baixo.

    AA: Pronto, venho para baixo. Tem… e depois não tem uma rotunda, que até tem umas flores no meio?

    PC: E o senhor vem sempre em frente para baixo… dá meia volta à rotunda e vem aí abaixo.

    AA: Certo. Pronto, já lá estou. Assim já vou melhor. Depois tem as escolas do lado direito…

    PC: Tem uma escola do lado direito. Vem sempre em frente.

    AA: Certo

    PC: Tá a passar por uns correios, não?

    AA: Depois, agora, agora tem aqui uma tabuleta que diz: Coimbrões, Rego d’Água.

    PC: Não, não. Sempre em frente.

    AA: Sempre em frente. Ok. Ora aqui vou eu. Já estive aqui carago.

    PC: E está a passar por onde?

    AA: Ora bem, agora tem… agora tem aqui uma tabuleta que diz: Avim??

    PC: Não não. Isso não sei o que é.

    AA: Ai não?

    PC: Isso não sei onde é que o senhor anda.

    AA: Ó diabo! Então tenho aqui uma tabuleta que diz: à esquerda Avim. Continuo sempre para baixo?

    PC: Vá. Continue sempre para baixo.

    AA: Pronto, eu continuo sempre para baixo. E vou passar…

    PC: Está a passar o que?

    AA: Depois tem aqui…Apeadeiro à direita

    PC: Não. Sempre para baixo.

    AA: E à frente tem uma pontezeca…

    PC: Exacto. Sempre para baixo.

    AA: Exatamente. Eu se vir aí alguma coisa que…

    PC: E depois, à direita vai ver uma casa grande, que é…

    AA: Exatamente. Um casa já antiga

    PC: Assim muito grande…

    AA: Certo

    PC: Sempre em frente

    AA: Sempre em frente…eheheh. E agora aqui em baixo tem costa, estaleiro de Madalena, Orfeão…

    PC: Sempre em frente

    AA: Sempre em frente…Farmácia…

    PC: Sempre em frente

    AA: Junta de freguesia da Madalena

    PC: Junta…isso eu não estou a ver onde é…

    AA: Depois tem clínica dentária…

    PC: Sempre em frente…

    AA: Agora direita ou esquerda?

    PC: Sempre em frente…

    AA: Agora… à direita ou à esquerda?

    PC: Sempre em frente…

    AA: Ah, mas aqui tem uma, tem a funerária e depois tem a orbitur..

    PC: O senhor na funerária, vira a esquerda

    AA: À esquerda, Orbitur…

    PC: Sempre em frente, para a esquerda. Passa à frente da funerária

    AA: Exatamente, elá vou eu

    PC: …E vem, e vem sempre em frente

    AA: E lá vou eu… sempre por aqui abaixo…agora tenhou outra, outra…, mais um jardinzeco à minha esquerda. É aqui?

    PC: Jardinzeco à sua esquerda?

    AA: Sim, tipo um triângulo.

    PC: Não, o senhor vem sempre em frente.

    AA: Sempre em frente, aqui vou eu. Agora temos aqui… Para a igreja ou para a praia?

    PC: Hum… ora, deixe-me ver onde é que está?

    AA: Campismo, farmácia…

    PC: O senhor passou, passou…

    AA: Ou viro para o , para o ideal clube da Madalena…

    PC: Vira para aí, que é para a esquerda, não é?

    AA: Exatamente

    PC: E vai passar nuns columbófilos…

    AA: Ora aqui vou… agora a estrada estreita aqui um pouquinho…

    PC: Exacto, e vai passar na sociedade columbófila e no clube da Madalena não sei qué…

    AA: Pronto, tem aqui um cruzeiro…

    PC: Exatamente, sempre em frente é estreitinho aí…

    AA: Exatamente

    PC: Pronto, e o senhor depois…

    AA: Sociedade Columbófila da Madalena, Já estou a passar…

    PC: Passa por ela e depois no fundo vira à direita, que tem aí o clube da Madalena

    AA: Exatamente, à minha esquerda é o clube da Madalena.

    PC: E o senhor vem aí e vai chegar à frente

    AA: É sentido proíbido, tenho que virar à direita

    PC: À direita, é uma rua larga, estão aí muitos gajos aí parados e encostados…

    AA: É, parece que é “Para a viola”…

    PC: É É…”Para a viola” e o senhor vem em frente.

    AA: Exatamente

    PC: E nessa rua larga vira à esquerda.

    AA: Aqui já estou eu

    PC: Vire à esquerda

    AA: Já estou eu na, na esquerda

    PC: E no fundo, vira à esquerda.

    AA: Outra vez à esquerda

    PC: Outra vez à esquerda e depois vai em frente.

    AA: Já vou

    PC: E no fundo dessa rua tem uma seta que diz praia…

    AA: Exatamente

    PC: … e o senhor vira à esquerda

    AA: Viro à esquerda. Aqui vou eu

    PC: E 100 metros à frente o senhor vira à direita e é nessa rua, na casa que está iluminada

    AA: Ok, isso já, já estou! Já estou a ver

    SEU MENTIROSO AQUI ESTA A PROVA QUE OS ARBITROS ERAM RECEBIDOS EM CASA DO CORRUPTO COSTA PARA FACILITAREM A VIDA DOS PORKOS DAS ANTAS ,DUVIDAS ..

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:44
  12. FOI SO UMA ESCUTA , VERGONHOSA GENTINHA ESTA …

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:45
  13. Conversa entre António Araújo e Augusto Duarte

    16/4/2004

    AA: Olhe, logo à… precisava logo à noite de jantarmos, queria que o amigo jantasse aqui por estas zonas, porque eu tinha aqui, tinha aqui uma obra para ser vista…E eu precisava, porque… vem o…

    AD: O engenheiro para ver isso?

    AA: Exactamente, não é?

    AD: Pois, mas é que eu logo à noite eu tenho curso de árbitros meu querido

    AA: Logo????

    AD: Logo, exactamente. Não tenho hipótese nenhuma…

    AA: E amanhã?

    AD: Amanhã joga o meu braguinha em casa com o Benfica… tem que se levar a mulher ao futebol, senão ela despede-me!

    AA: E então, mas é que o senhor engenheiro máximo… Faz questão de coisa…porque não sei quê, porque…e…

    AD: Como é que vamos fazer isso?

    AA: Não tem nada a ver, não tem nada a ver com… com o dois. É o número um, não é?

    AD: Pois, exactamente.

    AA: Que é o… que é o gerente da caixa, não é?

    AD: O gerente da caixa exactamente. Não sei como é que nós vamos fazer isso então, meu querido… É que eu logo não tenho hipótese nenhuma, porque tenho o curso de árbitros e agora estamos quase na fase de exames, de hoje a oito, não é??

    AA: Exacto…

    AD: Portanto não posso, não posso de maneira alguma… estar. Amanhã prometi à mulher que a levava à bola, portanto… como é que, estamos a ficar apertados…!

    AA: E o almoço?

    AD: O almoço é capaz de dar, mas o almoço não, não é assim muito para o clarão?

    AA: Não porque depois nós vamos ver uma casa

    AD: Ahh está bem! Está bem. Podemos então combinar isso… para o almoço?

    AA. Vamos ver a casa, vamos ver a casa, a ver se…

    AD: Ai vamos, aproveitamos e vemos a… também é mais de dia, consegue-se ver melhor

    AA: Pois exactamente, vamos lá ver a casa…

    AD: Tá bem. Podemos combinar isso para o almoço…

    AA: E eu agora, agora eu, eu não posso almoçar com um amigo?!

    AD: Ah então, pode e deve!!! Até, você tem, tem que almoçar comigo, que temos que ver aquele negócio, senão nunca mais resolvemos aquele problema!

    AA: Exactamente!

    AD: Olhe, eu estou a ficar é sem bateria. Se entrentanto for abaixo, liga-me para o outro, que eu estou no outro!

    AA: Exactamente! Então fica amrcado… Então eu amanhã, eu… a gente vai-se encontrar a quê? Meio-dia e meia hora, uma hora?

    AD: É isso, uma hora!

    AA: Ok amiguinho! Aqui, aqui nesta zona daqui. Eu falo, então. Está combinado.

    AD: Está bem. Está combinado, então…

    Conversa entre António Araújo e Pinto da Costa

    16/4/2004

    AA: Olhe, o… o intendente tem, que… portanto, tem a responsabilidade de… lá da vida dele de curso

    PC: Serviço, sim.

    AA: E… portnato, ficou amanhã, ele vem, vem almoçar comigo e depois então a gente encontra-se.

    PC: Está bem. Está combinado.

    AA: Está certo para o senhor?

    PC: Está sim senhor.

    Conversa entre António Araújo e Pinto da Costa

    16/4/2004

    AA: Ó senhor presidente! Dava para logo, dava… a pessoa, estive a falar com a pessoa novamente… ele ligou-me agora, e ele…

    PC: Sim, sim…

    AA: Já dava para logo à noite?

    PC: A que horas?

    AA: Portanto eu ás dez horas para, para as dez e meia. Eu estava lá, como ontem ficou combinado.

    PC: O senhor liga-me antes que é para… para eu estar lá.

    AA: Exactamente.

    PC: Está combinado.

    Conversa entre António Araújo e Augusto Duarte

    16/4/2004

    AD: Estou?

    AA: Então, amiguinho?

    AD: Estou a chegar…

    AA: Portanto, você já está a chegar aqui na cidade, não é?

    AD: Exactamente

    AA: Pronto… E então, eu… daqui por um bocado já estou na, na cidade mesmo, tá bem?

    AD: Está bem, está

    AA: É o tempo de eu sair daqui e estar lá, não é?

    AD: Está bem, está. Até já então.

    Conversa entre António Araújo e Augusto Duarte

    16/4/2004

    AD: Sim…?

    AA:…

    AD: Estou?! Atrás da igreja!

    AA: Pronto! Exactamente…!

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:47
  14. TT: Sim, Jorge Nuno?

    PC: Então?

    TT: Então? Olha pá, eu… eu já escrevi aquela história… do…do Deco…opá, aquilo… o Manuel Tavares estava… a querer pôr aquilo… em grande destaque pá!

    PC: Tem mais impacto aí do que…

    TT: Pronto! Ouve lá, e…e…e… entretanto, o FC Porto vai jogar…e…e os gajos vão perguntar ao Deco! O Deco o que é que vai dizer?

    PC: O Deco vai dizer que está a pensar!

    TT: Que está a pensar, não é?

    PC: É.

    TT: Está… o gajo não é maluco o suficiente para dizer que não… que não é nada, que é tudo mentira?

    PC: Não. Eu falo com o Antero e ele avisa.

    TT: Fala… fala com ele a dizer que lhe vão perguntar.

    PC: Ok.

    TT: Está bom?

    PC:Está bem.

    TT: Pronto… um abração… tesas giras! Lê isto, amanhã, que tem aqui coisas muito giras.

    DECO E PC

    Deco: Fala.

    PC: Tou, Deco?

    Deco: Sim.

    PC: Estou, é o presidente. Tás bom Deco?

    Deco: Ó presidente, então, tudo bem?

    PC: Olha, estou-te a falar pelo seguinte… amanhã, como sabes, nós metemos o recurso do teu castigo, não é?

    Deco: Sim, sim.

    PC: Amanhã, vai sair naquele coiso do Pato…

    PC: … uma coisa a dizer… do género de: pode estourar uma bomba… ofendido com o que foi dito… aquele termo de indigno e o castigo…

    PC: Então pode estourar uma bomba, que é possível que o Deco, d
    Deco: Sim, sim.

    PC: Ofendido com a perseguição que lhe está a ser feita, se calhar, vai pedir dispensa de jogar na Seleção ou no Europeu… uma coisa assim, estás a perceber?

    Deco: Hum, hum.

    PC: Que é como forma de pressão para…

    Deco: Hum, hum.

    PC: Para o Conselho! Portanto, se amanhã alguém te perguntar se isso é verdade, se não é, ou que é que pensas, tu dizes: desculpe, sobre isto eu não falo nem uma palavra! Na altura própria, eu… eu direi o que tiver a dizer.

    Deco: Claro, está bem.

    PC: Compreendes?

    Deco: Só que é assim… hoje… hoje, eu dei uma entrevista para a Bola… porque eu… tinha marcado já com o gajo e o Antero tinha falado comigo, por acaso… e o Antero para poder então a entrevista não sair.

    PC: Mas o que é que dizias na entrevista?

    Deco: Não… disse o básico, o normal forma…

    PC: Não, não prejudica, não! É só se te perguntarem… se te perguntarem alguma coisa: Isso é verdade não é? E o que é que há? Dizes “desculpe, sobre isso eu não digo nada, falarei na altura devida”.

    Deco: Tá bem, tá bem.

    PC: Compreendes?

    Deco: Tá bem.

    PC: Falarei na altura devida… que é param: Epá, isto é uma bronca dos diabos, deixa lá reduzir isto.

    Deco: Claro, claro.

    PC: Agora nem dizes nem quE nem que estás… nada! “Na altura própria, eu falarei”…

    Deco: Está bem, está bem.

    PC: Deco, um abraço. Até amanhã.

    Deco: Está. Um abraço

    PC E ANTERO

    PC: Sim?

    Antero: Presidente, bom dia.

    PC: Então?

    Antero: Esta do Pato, do Deco…
    PC: Como é que vem?

    Antero: Vem espectacular pá!

    PC: Como é que está?

    Antero: Acho que é umatica!

    PC: Como é que está?

    PC: Ahahahahahahah

    Antero: Espectáculo pá !!

    PC: E o que é que traz mais?

    Antero: Espectacular presidente! Espectacular pá.

    PC: Ok.

    Posted by carolina | 6 de October de 2014, 21:50

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: